Aldeia Piraqueaçu

Mais que um passeio: uma lição de respeito e valorização do meio ambiente 
02/11/2017
 

Esqueça tudo o que você conhece ou ouviu falar sobre visitas à aldeias indígenas. Hoje vamos contar sobre um lugar muito especial que visitamos juntamente com os blogueiros da 3ª Edição do Pocando no ES: a Aldeia Piraquêaçu, em Aracruz.

 

A Aldeia Piraquêaçu fica localizada às margens do Rio Piraquê-Açu e foi construída originalmente para gravação de uma novela e dois filmes (uma das notícias sobre essas filmagens com o ator Chay Suede você lê aqui). Trata-se, portanto, de uma aldeia cenográfica que se tornou uma aldeia real. Há quase 08 anos cerca de 80 índios moram e trabalham nela com turismo, limpeza e preservação do meio ambiente ao seu redor. Todos falam nativamente a língua guarani e razoavelmente a língua portuguesa.

 

Fomos recebidos muitíssimo bem pelo Cacique Karaí-Peru (Pedro) e seu filho Karaí-Mirim (Rodrigo). Eles nos contaram que a visita à aldeia inclui experiências de costumes e tradições indígenas, como o passeio de trilha pela mata (a Trilha do Cipó é a mais famosa), apresentação de danças indígenas, pintura corporal e, caso o turista queira almoçar na Aldeia Piraquêaçu, as índias preparam um delicioso almoço típico. Mas a nossa parte predileta foi, sem dúvidas, nossa conversa e os ensinamentos que aprendemos com eles.

De todas as histórias que ouvimos nos tocou profundamente a tristeza que eles sentem ao ver nosso meio ambiente sendo degradado, os rios contaminados e o aumento da poluição. Inclusive, na apresentação do coral de índios ficamos MUITO emocionados com um canto em guarani que, como nos explicou depois o índio Rodrigo, o Karaí-Mirim, trata justamente desse tema.

 

Nosso almoço foi farto: salada, arroz, feijão, macarrão, frango e Inhambi, um prato típico indígena que nos lembrou bastante o capeletti. O tempero estava delicioso! E um detalhe nos chamou a atenção: TODOS os índios da Aldeia Piraquêaçu, sem exceção, só começaram a almoçar depois que todos os visitantes haviam terminado suas refeições e estavam satisfeitos. 

 

Sentimos falta de banheiros, e fomos informados que a Aldeia Piraquêaçu ainda não possui toda a infraestrutura de que necessita. Para tomar banho com água potável, por exemplo, eles precisam se dirigir até outra aldeia que fica há cerca de meia hora. Vimos muitas garrafas de água mineral em um cantinho e soubemos que toda a água consumida precisa ser comprada. Achamos bem triste essa carência de infraestrutura pra eles, que fazem um papel tão importante de cuidar do manguezal, dos rios e das matas.

Antes de ir embora compramos belíssimas peças de artesanato indígena e também um acessório bem bonito para o cabelo, que eles produzem e vendem para os turistas que tem interesse. Nossa vontade foi ficar por lá até o anoitecer para contemplar o céu estrelado sem as luzes da cidade, mas a pernoite de turistas ainda está sendo viabilizada e em breve será possível.

 

O povo da Aldeia Piraquêaçu já está em nossos corações. Não vemos a hora de voltar! E trouxemos uma lição muito importante aprendida nessa visita: se continuarmos a fechar os olhos e os ouvidos para o clamor do povo indígena pela preservação do meio ambiente, as tragédias naturais e a fúria da natureza não pouparão nossas futuras gerações. Uma triste constatação, que esperamos não se tornar uma triste realidade.

 

 

Onde: Rodovia ES-010, próximo à Ponte de Santa Cruz

Como Chegar: são duas formas de chegada à Aldeia. Pela rodovia, sair de Vitória em direção ao município de Fundão e passar por Nova Almeida. No distrito de Santa Cruz, passar pela ponte sobre o Rio Piraquê-Açu e entrar à esquerda.

Pelo Rio Piraquê-Açu também é possível chegar, através do Passeio de Escuna

Quanto: R$ 20 por pessoa (o valor do almoço é combinado separadamente ao agendar o passeio)

Quando: todos os dias, até as 16h

Telefone: (27) 99606-2754 (contato direto com o cacique Pedro)

Dica: é preciso agendar a visitação com antecedência. A pintura corporal com tinta de jenipapo demora cerca de um mês para sair da pele, por isso não é aconselhável fazer no rosto

 

 

Conheça também em Aracruz:

 

> Praia de Coqueiral

 

> Praia dos Padres

 

> Coqueiral Praia Hotel

 

 

 

GUIA CAPIXABA

Um blog membro da RBBV (Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem)

  • RBBV
  • Facebook Guia Capixaba
  • Twitter Guia Capixaba
  • Pinterest Guia Capixaba
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram Guia Capixaba